terça-feira, 2 de setembro de 2014

Vai começar a colheita da safra de caju

A colheita da safra de caju e da castanha-de-caju do Rio Grande do Norte deste ano começa a partir do final de setembro. O setor da cajucultura potiguar está otimista quanto ao volume da safra. Espera-se que a quantidade ultrapasse a produção obtida no ano anterior. Essa boa perspectiva é por causa das chuvas que caíram em 2014, que foram melhores que as de 2013.

Como no mercado não há estoques de castanha de safras passadas, os agricultores norte-rio-grandenses estão acreditando que os preços do produto da nova safra devem se manter em alta. Na safra anterior o preço variou de R$ 1,75 a R$ 2,50 por quilo de castanha in natura. Já a amêndoa – castanha beneficiada, chegou a ser comercializada em até R$ 35,00/kg.

A oferta de castanha de origem do Rio Grande do Norte não é suficiente para atender à demanda de consumo do Estado. Razão pela qual, anualmente as indústrias de beneficiamento são obrigadas a adquirir o produto em outros estados produtores, e muitas das vezes, importar dos países africanos.

Portanto, esse é o desafio do setor da cajucultura do Rio Grande do Norte para, em curto prazo, aumentar a escala de produção, pois o mercado é favorável.


Além disso, o mercado de caju de mesa e de sucos também vem crescendo a cada ano. O desperdício do pedúnculo vem caindo, uma vez que a demanda pelo caju e derivados está em evolução. Esta é uma ótima notícia!