quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Agricultura de precisão vive nova fase

A agricultura brasileira está hoje em um dos melhores momentos da sua história. Nunca se produziu tanto, nem melhor e em tão pouco tempo como nos dias atuais. Prova disso é a produção recorde de soja, com 94,6 milhões de toneladas em 2014/15 e também a projeção de crescimento de 3,2% para a próxima safra, que deve alcançar mais de 97 milhões de toneladas.
Os seguidos recordes de produção de grãos no Brasil são reflexos da utilização da tecnologia na agricultura. O que antes era visto pelos produtores rurais com desconfiança, hoje é requisito básico para garantir maior eficiência operacional, produtividade e rentabilidade.
Adequação do manejo aos diferentes tipos de solo e clima, utilização de semeadoras cada vez mais eficientes e que permitem melhorar a qualidade do plantio, tratores mais modernos e confortáveis, colheitadeiras mais produtivas, uso de piloto automático, mapas de aplicação em taxa variável, sistemas de telemetria, entre outras, são algumas das tecnologias encontradas hoje no campo.
Após a profunda divulgação e massificação dessas técnicas é preciso buscar novas oportunidades para melhorar ainda mais a rentabilidade e eficiência operacional do produtor rural no campo. Com isso, surge a necessidade de integração de tecnologias. Essa é a segunda fase na agricultura de precisão.
Melhorias contínuas na gestão da frota, aperfeiçoamento do manejo, gerenciamento das máquinas à distância, mapas de aplicação cada vez mais precisos, otimização das manutenções, entre outros, devem trabalhar sincronizados e com o mesmo objetivo: eficiência. Para isso, é preciso que seja feito um trabalho integrado entre fabricantes (de ativos e insumos), revendedores e produtor rural, aproveitando a sinergia gerada para conseguir a perfeita utilização e alcançar números e resultados positivos. O trabalho conectado entre essas frentes garante que o cliente seja beneficiado com agilidade e qualidade no serviço, bem como benefícios na capacidade de gestão, capacitando-o a crescer e potencializar seus negócios.
É um mercado em potencial desenvolvimento e que promete crescer muito nos próximos anos. Investimentos em novas soluções de atendimento devem garantir aos agricultores acesso a todas as informações colhidas no campo e transformadas em dados para futura utilização de forma mais ágil, automatizada e assertiva, sem desperdícios e com muito mais eficiência e lucratividade. As palavras de ordem a partir de agora dentro das propriedades rurais são integração e eficiência.
O que antes parecia impossível acontecer, hoje já é presenciado no campo. Tecnologias não só nas máquinas agrícolas, mas também em tablets, smartphones, armazenamento de dados em nuvem, equipamentos conectados em rede, maior controle das operações e gerenciamento dos processos agrícolas em breve estarão trabalhando em conjunto. Atualmente, abrimos um universo interligado para apresentar soluções, melhorias e, consequentemente, inteligência em todo o processo.

*Niumar Aurélio Supervisor de Marketing do Produto ATS Massey Ferguson