sexta-feira, 12 de junho de 2015

Importação e exportação de castanha-de-caju

As sucessivas estiagens vêm prejudicando a produção de castanha-de-caju nos principais estados produtores da Região Nordeste: Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte. Esses estados são responsáveis por mais de 80% da produção do País.
A cadeia produtiva da cajucultura do Nordeste passa por sérias dificuldades por falta de matéria-prima – castanha-de-caju e caju (pedúnculo). Por causa das frustrações das safras as fábricas de processamento são obrigadas a reduzir o número de funcionários, e outras foram fechadas, gerando prejuízos para a toda a cadeia.
Por conta disso, as exportações de amêndoas de castanha-de-caju decrescem a cada ano. Em 2009 o Brasil exportou 47.760 toneladas de amêndoas. Em 2014 exportamos apenas 17.023 toneladas. Esse cenário indica que o setor precisar mudar o modelo atual de produção, avançando no cultivo por meio de irrigação.

 
 
AMÊNDOA DE CASTANHA-DE-CAJU       
   EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS
                        
ANO Quant.      Valor

          (t)       US$1000FOB            

1993: 31.170       119.896

1994: 23.079       109.200

1995: 31.977       147.236

1996: 36.222       167.508

1997: 36.349       156.917

1998: 31.882       142.575

1999: 24.101       142.124

2000: 33.588       165.059

2001 29.356       112.251

2002: 30.116       105.141

2003: 41.571       143.770

2004: 47.442       186.383

2005: 41.857       187.133

2006: 43.231       187.538

2007: 51.556       225.195

2008: 35.410       196.061

2009: 47.760       231.681

2010: 42.175       229.572

2011: 26.302       226.658

2012: 25.334       185.691

2013: 20.964       134.169

2014: 17.023       110.296

2015*   5.150       40.826
(*) janeiro a maio/2015
Fonte: SECEX                

 

CASTANHA DE CAJU IN NATURA         
  IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS         

                
 
 
 
 
 
 
ANO   Quant.          Valor

          (t)           US$1000FOB

                

1999     9.655         8.248

2000    6.445          4.933

2008    9.467          6.898

2009    4.472          3.040

2011  43.698         57.393

2012  59.450         58.023

2013  42.176         29.446

2014  11.767         10.165

2015*10.156           9.901
(*) janeiro a maio/2015
Fonte: SECEX